SINTESPE realiza assembleia geral e entrega pauta de reivindicações ao governo do Estado

SINTESPE realiza assembleia geral e entrega pauta de reivindicações ao governo do Estado

Reunidos em assembleia na tarde desta quarta-feira, servidores e servidoras de secretarias, autarquias e fundações debateram a pauta de reivindicações para 2018 e a situação de descaso promovida pelo governo de Santa Catarina.

O encontro estava programado para acontecer no Centro Administrativo, mas devido ao mau tempo os presentes votaram e aprovaram o início da assembleia no auditório do SINTESPE. Posteriormente foi formada uma comissão de servidores que seguiu até o Centro Administrativo para ser recebida pelo governo.

Novamente, quem recebeu o sindicato e servidores após alguma demora foi o Coordenador Executivo de Negociação e Relações Funcionais, Décio Vargas. A pauta de reivindicações foi entregue e houve pouco espaço para avanços. O governo do Estado permanece intransigente e alheio à pauta dos trabalhadores, mesmo proliferando que Santa Catarina já saiu da crise.

Assuntos abordados na assembleia

Além dos pontos já contemplados na assembleia anterior, realizada em 28 de fevereiro, situações de secretarias como a SJC, SST e de órgãos como a FCC e Imetro/SC entraram em pauta.

Em favor da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), o SINTESPE está organizando a elaboração de uma ação civil pública junto ao setor jurídico. Isso se deve ao fato de o governo ter descumprido o acordo feito com o Ministério Público do Trabalho onde era viabilizada a troca do prédio da SST, que atualmente encontra-se em condições insalubres. A denúncia foi feita no ano passado. Após a recente troca do secretariado, o governo deu o golpe nos servidores e os mesmos permanecem em busca de melhores condições de trabalho.

Outra situação desgastante envolve a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC). Os scanners radioativos, instalados nas unidades prisionais e socioeducativas, continuam gerando preocupação de servidores e visitantes por conta da proliferação de radiação ionizante e do manuseio dos equipamentos. Sobre esse assunto, o governo permanece enrolando a liberação da perícia.Já a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) reivindica um adicional de insalubridade para os servidores que estão expostos à materiais que liberam cargas elétricas. Nestas duas situações, o SINTESPE buscará o diálogo junto ao governo e responsáveis para resolver a situação.

O Imetro/SC também se fez presente na assembleia geral desta quarta-feira e os servidores seguem descontentes com a perseguição e retaliação dos trabalhadores após a greve geral de 2014. A categoria luta pela inclusão e extensão em gratificações. Diante de mais uma negativa do governo na tarde de hoje, os trabalhadores cogitam a ideia de entrar em estado de greve e foi marcada uma assembleia da categoria com data indicativa para o dia 9 de abril, às 14 horas na sede do SINTESPE em Florianópolis.

 

FOTOS:

 

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *