Servidores propõem audiência pública para tratar do SC Saúde

Em reunião no dia 14 de março, quarta-feira, no auditório do SINTESPE, servidores debateram os problemas que se acumulam em todas as regiões do estado por falta de credenciamento de médicos, clinicas e laboratórios ao SC Saúde. Entre as propostas de encaminhamento os servidores sugerem solicitar aos deputados estaduais a realização de audiência pública para debater com o governo e os representantes dos médicos a situação do SC Saúde. O SINTESPE juntamente com outras entidades sindicais também busca agendar reunião com o Secretário da Administração para entregar o relatório com as reclamações dos servidores enviadas ao sindicato. Ainda está previsto a realização de ato em defesa dos usuários do SC Saúde.

Há mais de 60 dias os servidores de várias cidades que antes tinham o atendimento regular pelo plano de saúde, oferecido pelo governo do estado, reclamam das dificuldades em ter acesso aos cartões de credenciamento e da falta de atendimento médico em muitas especialidades. Ocorre que as denúncias estão se acumulando e as resposta dos gestores do SC Saúde tem sido: “o servidor deve procurar o atendimento na cidade mais próxima”.

Com isso, o descontentamento e as reclamações têm crescido nos servidores e desta maneira muitos já começam a não ver motivos para continuar pagando pelo plano de saúde do governo. Durante a reunião vários relatos foram expostos confirmando os relatos publicados no site do SINTESPE. Entre a falas, uma das servidoras falou que em Criciúma, os servidores estão se organizando para fazer uma desfiliação em massa do SC Saúde. Ocorre que o descredenciamento do plano não é a solução, pois, desta maneira, o Plano de Saúde do servidor poderá correr o risco de tornar-se inviável.

A pergunta que temos feito é: A quem interessa toda essa situação? Os médicos quando atendiam os servidores pela Unimed recebiam honorários no valor R$ 48. De acordo com o governo, atualmente pelo SC Saúde, os médicos recebem R$ 53 para os profissionais que atuam no Litoral e R$ 62 no Oeste e Meio-oeste, por consulta.

Com base nas reclamações e para buscar respostas a várias situações inexplicáveis o SINTESPE está reunido com outras entidades sindicais, bem como, cobrando do governo uma regularização da situação. A participação dos servidores nas mobilizações vai garantir a manutenção do SC Saúde, com atendimento e qualidade em todas as regiões e cidades catarinense.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *