Greve dos Correios segue com forte adesão da categoria

Desde que foi iniciada na última quarta-feira (14), a greve nos Correios segue crescendo com forte adesão de toda a categoria. De acordo com a Fentect/CUT (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios), 34 dos 35 sindicatos filiados aderiram à paralisação. Cerca de 70% do sistema operacional dos Correios encontra-se parado.

A expectativa para este início de semana é que o governo enfim abra um canal de diálogo para discutir uma proposta que seja aceitável e condizente com as reivindicações dos trabalhadores.

“Estamos trabalhando para resolver este impasse, mas é preciso que o governo sente com o Comando de Negociação para discutir uma resolução, construindo uma proposta que garanta ganho real para todos os trabalhadores, além de benefícios como vale alimentação, convênio médico, auxílio creche para homens, melhoria nas condições de trabalho e novas contratações para sanar o déficit de funcionários que chega hoje na casa de 30 mil”, salienta José Rivaldo da Silva, secretário geral da Fentec/CUT.

Diferentemente do divulgado pela imprensa, a paralisação é de total e exclusiva responsabilidade da direção dos Correios que em mais de 40 dias de negociação apresentou uma única proposta, abaixo das expectativas e das exigências da categoria. “Reiteramos que não haverá recuo por parte dos trabalhadores até que nossas reivindicações sejam atendidas”, conclama Rivaldo.

Em Santa Catarina a decisão ocorreu durante a Assembleia da categoria realizada ocorrida no dia 13/09. Cerca de 400 trabalhadores reunidos em Assembleias regionais em todo o estado de SC votaram e decidiram a favor da greve por tempo indeterminado. As Assembléias aconteceram em Florianópolis, Joinville, Criciúma, Lages e Chapecó.

A categoria rejeitou a proposta da empresa de Acordo Coletivo apresentado no final da tarde do dia 12/09. Para a diretoria do SINTECT/SC a proposta é vergonhosa e não contempla os anseios dos trabalhadores. Entre os dias 24/08 a 08/09, a diretoria participou de rodadas de negociação da Campanha Salarial da categoria com a ECT. Nas reuniões foram apresentados os itens da pauta de reivindicações. De acordo com a comissão de trabalhadores, responsável pela negociação, em nenhum momento a empresa sinalizou positivamente em atender a categoria.

Durante a Assembleia, que deflagrou a greve, a diretoria do SINTECT/SC colocou em votação a proposta do Acordo oferecido pela ECT, e repetindo a decisão da grande maioria dos sindicatos no país, mais uma vez a proposta foi rejeitada pelos trabalhadores.

De acordo com o encaminhamento aprovado pela categoria será mantida a proposta dos Ecetistas que exige 24.76% das perdas de 1994/2002; Piso Salarial de R$ 1.635,00; Aumento real e linear de R$ 400,00; Vale alimentação de R$ 30.00; Vale cesta de R$ 300.00.

Além disso, a categoria luta para que sejam realizados Concursos Públicos para a contratação de mais funcionários, pela revogação da lei que institui a MP 532,  que agora está denominada como PLV 21/2001, e que em seu texto privatiza os Correios. A diretoria está organizando os trabalhadores em todo estado e vai realizar Assembleias nas próximas semanas para avaliação do movimento.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *