CUT Santa Catarina realiza sua Plenária Estatutária

“O fortalecimento e organização CUTista se dá com muita luta, debate e essencialmente, estratégia de atuação”, reafirma Rosane Bertotti
O Portal do Mundo do Trabalho acompanhou a Plenária da CUT Santa Catarina, que acontece nos dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro, na Escola Sindical Sul, em Florianópolis. Nesta semana, três estaduais da CUT realizam suas plenárias: Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Pará.
A CUT no estado de Santa Catarina homenageia em sua 13ª plenária a companheria Ana Maria Ribas, professora e militante CUTista, ex-diretoria do SINTE/SC, que morreu no dia 14 de março de 2011, em decorrência de problemas cardíacos (leia mais sobre Ana Ribas).
A plenária teve início com a exibição de um vídeo mostrando algumas lutas dos trabalhadores e trabalhadoras catarinenses, lideradas pela CUT no estado.
Compuseram a mesa de abertura o presidente da CUT Santa Catarina, Neudi Giachini, a secretária nacional de Comunicação da CUT, Rosane Bertotti, Valeir Ertle, da Executiva Nacional da CUT, José Fritsch, presidente estadual do PT, Isabel de Souza, representando o deputado Dirceu Dresch,João Batista de Souza, representando trabalhadores e trabalhadoras da iniciativa privada, Lizeu Mazzione, representando os da Educação, Alexandre Bergamin, representando os da Agricultura Familiar e Assalariados Rurais. Também compôs a mesa Aldoir Kraemer pela Coordenação dos Movimentos Sociais.

“Nesta Plenária devemos votar emendas para o projeto de desenvolvimento que queremos para avançarmos em nossas conquistas. Nossos desafios nesse momento é elaborar, propor, e dizer qual rumo queremos seguir”, diz Neudi Giachini ao declarar aberta a 13ª Plenária da CUT Santa Catarina.


Rosane Bertotti destacou que o tema da 13ª Plenária da CUT – Liberdade e Autonomia: por uma nova estrutura sindical, reafirma um principio histórico da CUT e norteará os debates sobre estratégia da Central para o fortalecimento do projeto CUTista  e na disputa dos rumos do país, na sociedade e no movimento sindical. Rosane ressalta que para isso, o debate sobre a atualização do projeto político-organizativo da CUT deve ser discutido e aprofundado pelos estados e pelos ramos.

“O fortalecimento e organização da base se dá com muita luta, com debate e essencialmente, com estratégia de atuação. Temos que insistir no debate sobre organização por local de trabalho, atuar regionalmente e nacionalmente em conjunto Coordenação dos Movimentos Sociais, e estar presentes na luta e nas discussões em temas nacionais que também atingem a classe trabalhadora, como a democratização da comunicação, a luta contra as privatizações entre outras”.

Para Valeir Ertle, “a plenária é um espaço democrático, onde deve prevalecer o debate de ideias que contribuam no processo de atualização do projeto político-organizativo CUTista e em defesa de uma nova estrutura sindical”.
A plenária da CUT no estado de Santa Catarina conta 275 delegados e delegadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *