CUT comemora reatamento de relações EUA-Cuba

CUT comemora reatamento de relações EUA-Cuba

É com muita alegria e redobrada satisfação que a Central Única dos Trabalhadores saúda o reatamento das relações diplomáticas entre Cuba e os Estados Unidos, após 53 anos, bem como a troca de presos, em especial a libertação dos últimos dos cinco antiterroristas cubanos, Gerardo Hernandez, Antonio Guerrero e Ramon Labañino, encarcerados desde 1998.

A CUT se orgulha de, ao longo das suas mais de três décadas de existência, ter sempre estado solidária ao lado do povo cubano na sua luta por soberania e independência. Desejamos que o passo dado em relação à normalização das relações seja um impulso para que o governo dos Estados Unidos acabe, de uma vez por todas, com o criminoso e cruel bloqueio econômico, comercial e financeiro, que tantos e tão profundos prejuízos humanos e materiais causa à Ilha caribenha, assim como feche a prisão de Guantânamo e devolva o local aos cubanos.

O embargo contra Cuba foi imposto pelos EUA em 1962 após o fracasso da invasão da ilha para derrubar o governo liderado por Fidel Castro e, desde então, foram inúmeras as resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) condenando o bloqueio. Até o momento, os Estados Unidos continuam ignorando todas as normas mundiais.

Em outubro, na última votação, só os EUA e Israel fizeram pouco caso da decisão do órgão máximo da comunidade internacional e votaram pela manutenção da política do garrote e asfixia. O texto solidário a Cuba venceu massivamente, recebendo o apoio de 188 dos 193 membros da ONU, com a abstenção da Micronésia, Palau e Ilhas Marshall, o mesmo resultado da resolução equivalente aprovada um ano atrás.

Que o espírito de congraçamento manifestado pelos povos do mundo diante do reatamento diplomático potencialize a pressão pelo fim do bloqueio e abra um novo tempo de justiça e paz para a nossa América e para a Humanidade.

Vagner Freitas, presidente da CUT

Antonio Lisboa, secretário de Relações Internacionais da CUT 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *